terça-feira, 21 de março de 2017

O que aprendi com a Engenharia civil - Efficace Engenharia BIM


Todos sabem que minha área é outra. Sou biomédica imunologista, atuo na Saúde Pública desde sempre. Mas de uns tempos para cá tenho aprendido muito com a Engenharia civil.
Tenho um engenheiro dentro de casa, meu marido, e por causa da nossa vinda para Brasília por questões profissionais minhas, fiquei muito perto das questões profissionais dele.
Até pouco tempo atrás, a Engenharia civil era uma das áreas que mais gerava empregos e renda no país. Muitas famílias trabalhavam na construção civil, refinarias, portos, aeroportos etc. Depois que começou a operação lava-jato, muitos perderam seus empregos, fruto de vários escândalos envolvendo políticos e empreiteiros. Resultado: 12 milhões de desempregados e uma crise econômica para recessão de 29 nenhuma botar defeito.
Nesse cenário caótico, fui chamada para assumir um cargo em Brasília, pois passei num concurso público. E meu marido, que tinha sua estabilidade em Pernambuco, colaborando há muitos anos com uma outra empresa, veio no mesmo dia que eu, me mostrando a primeira lição: generosidade.
Junto, trouxe a nossa empresa, a Efficace Engenharia BIM, concebida depois de anos de amadurecimento. Trouxe também a garra e a vontade de fazer dar certo em um local onde a influência política e os apadrinhamentos é que mandam. Não temos padrinhos políticos, nunca tivemos. 
Devido à crise, muitos empresários precisaram repensar sua forma de fazer negócios e o modo de pensar a Engenharia. Alguns conceitos relativamente novos atualmente, como o BIM, já faziam parte de um pilar central na Efficace desde os primeiros esboços de suas metas e visão. E a segunda lição que a Engenharia me trouxe: ousadia. É preciso pensar grande e pensar fora da caixa. Não podemos ter medo de ousar, de experimentar, de arriscar.
Hoje, a Efficace tem um conceito e uma visão estratégicos de mercado e da própria Engenharia. Conceber projetos em BIM é diminuir custos para o cliente, evitar desperdícios, programar a obra, tanto financeiramente quanto cronologicamente - é o conceito 5D. É a QUALIDADE falando mais alto, é a integração de projetos estrutural, hidráulico, elétrico e arquitetônico, é a EFICÁCIA aplicada à construção civil. Quem ganha com isso? Todos. O cliente e nós, pois a Efficace se baseia na ética e seriedade para realização de um projeto, bem como seu gerenciamento.
Mas você pensa que foi fácil? Que tudo estava escrito? Nada disso! Foram necessárias noites em claro (e ainda são!), finais de semana e feriados em frente a um computador ou a um livro, estudando, experimentando, concebendo, desenhando. Foram necessários investimentos intelectuais e financeiros- alguns nem tão rentáveis assim, mas todos trouxeram um aprendizado. Foram necessários valiosos colaboradores (Saudações, Dr Edmundo Herrera e Dr Lino!) que engrandeceram enormemente nosso trabalho com suas discussões técnicas que livro nenhum seria capaz de explicar. Foi necessário o apoio técnico de gerentes e técnicos colaboradores para darmos celeridade aos processos e principalmente, foram necessários Clientes - que são a verdadeira razão da existência da Efficace e a sua satisfação, o propósito do nosso trabalho. 
Foi necessária ainda muita calma, muito amor pela profissão, muita leitura e muita certeza que trilhamos o caminho certo. E mais uma vez a Engenharia me trouxe outra lição: a garra. Se você quer que algo dê certo, busque fazer com que dê certo!
Todos os dias, em meio a crises política e econômica, em meio a operações lava-jato e carne fraca, vamos sobrevivendo e despontando, conquistando clientes e colaboradores, enquanto muito gigantes adormeceram, fecharam as portas. E outra lição aprendi com isso: a esperança. Não desista dos seus objetivos e do que você acredita porque os outros desistiram. Se sua ideia é inovadora, invista tempo e dinheiro e acredite no sucesso. Ele virá.
E a última lição que aprendi com a Engenharia e com tudo o que vivemos no Brasil nos últimos anos: resiliência. Só assim, conseguiremos superar essa crise, reescrever a história da Engenharia Brasileira e fazer com que este segmento tão importante para a sociedade e para a coisa pública volte a crescer e prosperar, para que os profissionais Engenheiros tenham oportunidade de permanecerem, com dignidade, na área que escolheram.
É, para quem é da Saúde Pública, até que a Engenharia tem me ensinado muita coisa ultimamente...

Daniele Van-Lume Simões       21 de março de 2017

Nenhum comentário:

Postar um comentário